6 músicas da minha adolescência


Sabe quando você escuta uma música e ela te lembra de um momento específico da vida? Então. Recentemente eu ouvi algumas canções que marcaram muito a minha adolescência e decidi fazer uma playlist nostalgia especial com elas ❤



1- Lutar pelo que é meu (Charlie Brown Jr.)


Eu poderia ter escolhido diversas músicas dessa banda que tanto marcou a geração dos anos 1990 e 2000: Te levar, Ela vai voltar, Só os loucos sabem... Mas escolhi essa por ter tocado na minha formatura do ensino médio.

2- I’m With You (Avril Lavigne)


Nossa, pensar que a Avril Lavigne era a minha musa e que eu era considerada emo por ser fã dela é uma coisa muito louca. Ela é outra que eu poderia citar várias músicas que marcaram, como Complicated, Nobody’s home, He wasn’t (trilha sonora de TODAS as minhas desilusões amorosas) são apenas algumas que eu costumava ouvir sempre. Escolhi I’m With You porque eu cantava muito, a plenas pulmões (e falta de afinação). Hoje, analisando a letra, percebo que ela represente muito bem o quanto a gente dá muito valor pra opinião dos outros nessa fase da vida. Esperamos sempre que alguém nos salve, quando nós mesmas deveríamos dar um jeito de nos salvar.

3- The end (The Doors)


Mais uma do meu ensino médio! Sei que ela vai ficar meio destoada nessa lista, já que é dos anos 1960 e poucos jovens que eu conheço são fãs dessa banda. O lance é que essa foi a primeira música dos Doors que eu ouvi, numa aula de história. Na época eu fiquei bem malucona mesmo, viciada no som dos caras de um jeito surreal. Hoje a banda continua sendo a minha favorita, mas não escuto na mesma frequência, já que considero as músicas deles carregadas de significado e com uma energia diferente, que pode até te deixar tenso, sendo que às vezes a gente só precisa de algo mais leve pra relaxar.

4- Womanizer (Britney Spears)


Gente! Eu era a louca da Neide (sim, eu sei, meu gosto musical é bem diversificado)!

5- Sweet Child O’ Mine (Guns n’ Roses)


Outra que não é da minha época, mas que também tem história relacionada à escola. No colégio em que eu fiz o ensino médio, os grupinhos era basicamente roqueiros e funkeiros. Eu não me encaixava em nenhum, mas acabei entrando na onda da galera do rock. Quando tinha gincana, como os professores já sabiam desse lance das panelinhas, sempre tocavam Sweet Child O’ Mine pros roqueiros e o funk do momento pros funkeiros. Pois é.

6- Love Story (Taylor Swift)


Sim, eu gosto dela desde quando os clipes estreavam na MTV e o Mion tirava sarro deles nos Descarga (será que só eu adorava esse programa? Acho que não, senão a Record não teria transformado o Descarga no Legendários).
Sim, várias outras músicas marcaram minha adolescência, tipo as da Lady Gaga, do RBD, do Black Eyed Peas... Mas aí a lista iria ser infinita, né? Temos que ter prioridade nessa vida.

E aí, qual música marcou a sua adolescência?
Beijos,

             Duane.

Quando começar a monetizar o blog?


Se você fosse me perguntar qual foi o meu maior erro no Claramente Insana, vou dizer que foi não monetizar logo que ele foi criado. Sabe por quê? Porque eu tinha vários pensamentos errados que me fizeram deixar de ganhar uma graninha. Como percebi que várias blogueiras iniciantes também têm essas mesmas ideias incorretas, vou desmitificar algumas a seguir:

1- SEU BLOG NÃO PRECISA SER GRANDE PRA SER MONETIZADO


Vamos supor que você tem apenas um leitor. Um leitor que entra todo dia no seu blog. Se ele interage e/ou clica no anúncio, isso vai te gerar mais receita do que um blog que tem mil visitas diárias e nenhum clique. O que vale é o engajamento, não existe isso de ter que esperar seu blog crescer pra poder monetizar.

2- VOCÊ NÃO PRECISA COLOCAR DADOS “COMPLICADOS” NO ADSENSE


A maneira mais simples de ganhar dinheiro pela internet é com o Google AdSense. Pra ativar ele no seu blog é só entrar nesse site, logar com a sua conta do Google, seguir o passo-a-passo direitinho, copiar e colar os códigos de anúncio e adicionar como gadget no seu blog. Simples assim. Não precisa colocar número de conta do banco nem nada muito comprometedor. Só quando você chegar a $100 vai precisar cadastrar sua conta do banco, então não precisa se preocupar com isso agora.

3- SEU BLOG NÃO VAI FICAR FEIO (E VOCÊ NÃO VAI PERDER PÚBLICO)


Uma das coisas que eu mais pensava era “ah, mas eu já tenho pouco público, se ele perceber que coloquei anúncio vai desanimar e aí esse blog vai se perder na imensidão da internet”. Que close erradíssimo! Eu não poderia estar mais enganada. Seu blog só vai ficar feio caso você coloque um anúncio pop-up (aqueles que escurecem a tela e pulam na frente do conteúdo ­– ninguém merece) inconveniente. Na hora de colocar o gadget de anúncio, você vai escolher onde ele vai ficar, de preferência um lugar visível, mas que não atrapalhe a leitura, e isso não vai incomodar os leitores. Falo por experiência própria.
Ou seja: mesmo que seu blog seja apenas um hobby, você pode e deve monetizar agora, já! Não poderia haver momento melhor do que esse. Prometo que não haverá arrependimento ;)

E aí, curtiu o conselho?
Beijos,

            Duane.

Meus 5 artistas favoritos


O tema de hoje do desafio das cinco coisas é um dos melhores ever: meus artistas favoritos. Eu simplesmente AMO música, e o mais legal é que, apesar de ser libriana, pra mim foi fácil fazer essa lista. Quer ver? Vem comigo!

1- The Doors


Apenas a minha banda favorita da vida há alguns bons anos. Quem me apresentou foi uma professora de história muito querida, pelos filmes Apocalypse Now e Forrest Gump. Os Doors são dos anos 1960 e têm um som que se classifica como rock psicodélico. Ou seja: é maravilhoso, mas não é todo mundo que gosta (infelizmente). Músicas favoritas: Twentieth Century Fox | The end | Spanish Caravan

2- Taylor Swift


Nada a ver com o anterior? Nada a ver com o anterior. Eis aí a parte da adolescência que carrego comigo. Adoro a forma como ela compõe (fora que é bem da hora saber que existe alguém no mundo que além de ser bem ryca e girl power pega tudo os boy magia que a gente quer). Músicas favoritas: Love Story | Wildest Dreams | The story of us

3- Ed Sheeran


Cara, como eu amo! Sério, meu amor pelas músicas do Edinho se compara ao meu amor por torta de frango com catupiry. Músicas favoritas: tem playlist aqui no blog.

4- Maysa


Já falei dela no post mais famoso do Claramente Insana e também já coloquei uma música dela numa playlist empoderadora. O lance é que essa mulher foi simplesmente uma bad ass dos anos 1950, e apesar do som dela chegar a ser até meio brega, eu adoro. Músicas favoritas: Rindo de Mim | Resposta

5- Alessia Cara


Tá aí uma gata garota que faz músicas incríveis. Quando pensamos em um álbum tudo de bom, pensamos em Know It All. Músicas favoritas: Seventeen, Here, Four Pink Walls, Wild Things.

E aí, você curte alguém da minha lista?
Beijos,
            Duane.


Filme: Austenland


Ano passado eu li o primeiro livro que me deu uma ressaca literária daquelas. O nome dele é Austenlândia e você pode conferir uma mini resenha que fiz dele nos favoritos de julho de 2016. Já naquela época fiquei sabendo que um filme inspirado nessa história havia sido lançado em 2014 e fiquei curiosinha. Só agora finalmente assisti e vim contar se gostei ou não.
O plot do filme é que Jane Hayes é uma aficionada pelas histórias da Jane Austen e acaba gastando todas as suas economias para ir visitar a Austenlândia, um lugar onde se pode vivenciar o período regencial, com direito à zero tecnologia, alimentos esquisitos (tipo olho de ovelha), carruagem, espartilho e, obviamente, romance à moda antiga.


Já vou começar dizendo que o filme é bem diferente do livro, mas nem tanto. Na minha opinião, as adaptações trouxeram mais comicidade (ficou beeem mais engraçado), e deixaram tudo ainda mais leve. Também vale lembrar que Austenlândia foi produzido e roteirizado pela própria autora, Shannon Hale, então eu realmente acredito que as diferenças são válidas.


A caracterização ficou maravilhosa. Sério, a casa e os figurinos estão sensacionais. Até quem assiste se imagina naquele lugar, vivenciando aquilo.
Adorei os atores e as atrizes que escolheram. Cada um deles encarnou o personagem de verdade. Nesse quesito, senti que mantiveram tudo muito fiel ao livro. A srta. Charming, por exemplo, foi perfeita.


E o que dizer dos “interesses românticos”, mais conhecidos como boys magia? Bateu amor, bateu paixão pelo Sr. Nobley (e quem não pegaria o Capitão East?), fora que eu ri demais com o Coronel Andrews.


Risadas, aliás, não faltaram ao assistir Austenlândia. Sabe aquele filme bobinho que você assiste num domingo à tarde, só pra se distrair mesmo? É esse, com o extra de que a trilha sonora é incrível e a probabilidade de dançar no sofá é alta.


Obviamente, eu super recomendo. E fica a dica: não deixe de ler o livro também! Sério, é ótimo, e recentemente li a sequência (não é continuação, são personagens diferentes, apenas alguns aparecem novamente, como a maravilhosa Srta. Charming), que se chama Meia-Noite na Austenlândia e mistura os cenários e personagens da Jane Austen com os mistérios da Agatha Christie. Como não amar?

♫ I am so hot I'm gonna take my clothes off  ♫
E aí, ficou com vontade de assistir?
Beijos,
           Duane.


Resenha Delineador Making Easy


Foi lançada recentemente uma nova marca de maquiagem, a Making Easy. Basicamente, a proposta é trazer produtos baratinhos de farmácia, mas com embalagem e qualidade bapho.
Não fui chamada pro evento de lançamento (Flora Cosméticos, vocês me devem essa!), mas logo que colocaram à venda corri comprar alguma coisa pra testar e contar o que achei. Acabei escolhendo o delineador líquido preto, que custa R$15,90.


A embalagem é de plástico duro e vem com 3,5g de produto. O corpo do pincel tem o tamanho ideal e eu curti bastante o aplicador, que tem a pontinha dura, o que dá uma precisão maior.

O foco não colaborou, mas acho que deu pra ter uma ideia de como é a pontinha do pincel, né?
A pigmentação é boa, mas eu gostei de passar duas camadas pra ficar mais certinho.

Sim, sou dessas que erra o traço e vai engrossando pra tentar arrumar 
Sobre a durabilidade: considerei ótima, já que não é à prova d’água e mesmo assim ficou firme e forte por umas cinco horas. Se você passar o dedo sem querer durante o dia (quem nunca?), não vai borrar, apenas desbotar um pouco a cor. E na hora de tirar com o demaquilante, sai bem de boa.
Considero que o delineador da Making Easy é uma ótima opção básica pro dia-a-dia. É de qualidade mesmo, e dá um resultado legal. Confesso que já estou doida pra testar os outros produtos da marca HAHAH.
Você encontra as maquiagens da Making Easy exclusivamente nas farmácias Vale Verde e na loja online.

E aí, ficou com vontade de testar também?
Beijos,

           Duane.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...